POR UMA CIDADE DE TODAS

A cidade sempre foi pensada pelos homens e para os homens. Mas uma urbe com população majoritariamente feminina como o Recife (54% da população) precisa ouvir o que as mulheres têm a dizer. Pensando nisso, a Secretaria da Mulher resolveu abraçar essa luta e trabalha no sentido de inclusão, pela primeira vez na história, da perspectiva de gênero no Plano Diretor do Recife, que começou a ser revisado este ano. Essa perspectiva é nada mais, nada menos que o olhar da mulher sobre a cidade, as soluções que ela enxerga para usufruir do espaço público com mais conforto e segurança, levando em conta que sua dinâmica e relação com a cidade é bem diferente da dos homens.

Depois de fazer escutas em todas as regiões político-administrativas (RPAs) do Recife, (segundo semestre de 2017) a Secretaria da Mulher iniciou o processo de colaboração social visitando diversos locais na cidade e colhendo muitas sugestões de intervenção no planejamento urbano para a revisão do Plano Diretor,com o intuito de propor soluções para tornar a cidade mais equânime e segura.

Principais propostas das mulheres:

– Mapear áreas subutilizadas para ocupar com equipamentos como praças, postos de saúde e creches, por exemplo. A justificativa é que os terrenos baldios aumentam a probabilidade de uma mulher ser vítima de violência física ou sexual.

– Melhorar a iluminação pública. Muitas mulheres desviam o trajeto por conta do risco que ruas escuras representam para elas.

– Revitalizar praças para garantir que possam ser utilizadas com segurança por meninas e mulheres. Muitos desses espaços estão ocupados indevidamente (comércio informal, jogos…).

– Considerar as peculiaridades de cada comunidade antes de decidir o que empreender ali.

– Investir na mobilidade, melhorando a infraestrutura viária e de transporte público (paradas de ônibus mais iluminadas e seguras, mais ônibus e metrô para reduzir a superlotação e, por consequência, o assédio).

– Construir mais ciclovias nas comunidades, pois as mulheres costumam usar muito a bicicleta como meio de transporte.

– Sinalizar as vias públicas para prevenir atropelamentos.

-Priorizar a titularidade da habitação em nome das mulheres, assegurando infraestrutura urbana e equipamentos necessários à moradia digna.

– Elaborar política de inclusão e valorização das catadoras de materiais recicláveis, que prestam importante serviço à comunidade.

– Garantir a participação da mulher no planejamento urbano do Recife para que reflita os anseios e necessidades da população feminina.

– Ampliar oferta de creches e escolas em áreas indicadas pela população feminina.

Próximos passos

Agora, a luta da Secretaria da Mulher do Recife é para garantir a equidade de gênero nas conferências, assegurando a participação das mulheres, que já têm garantidas 50% das vagas de delegados na Conferência para revisão do Plano Diretor.

Algumas estratégias estão sendo realizadas para ocupação de espaço pela mulheres nas atividades relativas à revisão do Plano Diretor:

– Garantia de tempo homogêneo de falas nos eventos e atividades.

– Estimulo às mulheres para expressar seus anseios e entendimentos.

– Garantia de que as reuniões ocorram em locais de fácil acesso e em horários adequados (fora do horário cotidiano de trabalho).

– Apoio para a efetiva participação e nas tomadas de decisões durante os encontros técnicos.

– Criação de brinquedoteca, com atividades lúdicas para que as mulheres levem os filhos às reuniões.